ux

A sigla UX de User Experience (Experiência do Usuário em inglês), é um conceito que surgiu nos 90 e foi impulsionado com a recente transformação digital e evolução tecnológica.

Na segunda década dos anos 2000, vários setores passaram a investir na ideia de entregar atendimento, produtos e serviços que realmente permitissem uma experiência diferenciada aos seus clientes.

O grande destaque do UX é exatamente essa abrangência comercial. O conceito pode ser aplicado em diversas áreas de negócio, desde os setores mais convencionais, como varejo e call center, até aqueles mais segmentados, como logística e desenvolvimento de sistemas de gestão.

É claro que cada área tem sua particularidade. Os “UX designers” precisam focar nas necessidades e anseios dos usuários do seu segmento para entregar valor e uma experiência que vai além do normal.

Mas, como isso funciona na prática? Qual a importância e como uma empresa verdadeiramente inovadora e desenvolvedora de sistemas de gestão ou soluções especialistas deve trabalhar o UX com seus usuários? E qual o impacto para as áreas de Fiscal, RH e de TI da sua empresa? Entenda mais.

Como a UX se aplica às soluções fiscais especialistas?

Em alguns setores, como varejo de roupas, por exemplo, a aplicação do UX parece ser algo simples e lógico. A empresa deve garantir peças diversificadas, bem como, facilidade na hora de pagamento – claro que ainda tem o pós-venda e outros fatores, mas o planejamento é mais simples de ser colocado em prática e entendido por todos.

Porém, quando entramos em segmentos mais específicos, como desenvolvimento de sistemas de gestão e soluções especialistas, as dúvidas são mais frequentes. Afinal, em teoria, os softwares já são criados para melhorar a vida do usuário, são produtos que devem ser funcionais.

Mas a grande questão é que não adianta ser apenas funcional – até porque, todos o são. Quando se trata de “soluções”, o UX precisa realmente garantir que eles resolvam as carências do usuário.

No desenvolvimento de sistemas de gestão e soluções especialistas, os UX designers devem trabalhar uma visão holística. O usuário precisa ser incluído no desenvolvimento do projeto, através de pesquisas, estudos etc., garantido que as expectativas, conformidade e limitações sejam superadas no novo produto.

A própria inclusão da tecnologia em nuvem (computing cloud), por exemplo, é resultado do trabalho do UX em sistemas de gestão. Os especialistas perceberam que os usuários necessitavam romper a questão da limitação presencial, e a nuvem trouxe exatamente a possibilidade de funcionamento remoto.

<<<Descubra neste GUIA PRÁTICO quais as vantagens e os benefícios em adotar uma solução verdadeiramente em nuvem!

Em suma, quando se trata de softwares especialistas, o trabalho do UX deve ser muito mais profundo, não se focando apenas questões de atendimento ou formas de pagamento. As soluções não podem ser apenas funcionais, a experiência do usuário só será completa se os principais setores do negócio forem impactados positivamente.

Qual o impacto do UX nos setores Fiscal, RH e de TI da sua empresa?

Hoje, sistemas comuns de gestão são capazes de otimizar algumas rotinas de trabalho das áreas de uma empresa. No entanto, em alguns setores específicos, como Fiscal, Tributário, Contábil e RH, contar com um software especialista é fundamental para que determinados processos sejam realizados com facilidade, conformidade e excelência – e são exatamente nesses que o papel do UX se torna primordial.

Experiência diferenciada e de fácil adaptação

Como explicado, para oferecer uma experiência diferenciada, um software precisa abranger todas as necessidades do seu usuário. Para começar, ele deve ser, de fato, especialista. Uma ferramenta com funcionalidades que sejam compatíveis com os setores e de fácil adaptação aos colaboradores.

Além disso, setores fiscais e contábeis precisam estar em conformidade com as leis tributárias locais para manter as obrigatoriedades da empresa em dia. Ou seja, o UX deve entregar uma solução que permita estar compliance com o cenário fiscal.

Em relação ao TI o ponto de vista é muito mais técnico. Lembra-se do trabalho em conjunto dos UX designers com os usuários? Esse é o papel principal do TI.

O gestor de TI como protagonista

Como principal referência em tecnologia da empresa, o gestor de TI deve assumir o protagonismo e garantir a personalização de um sistema de gestão ou solução especialista em nuvem perfeita. É a sua colaboração que vai garantir uma ferramenta que reduz custo, aumenta a produtividade, garante a conformidade fiscal e é capaz de atender a todas as necessidades do negócio.

Enfim, o UX foi criado como uma abordagem mais eficaz para resolver os problemas dos clientes de uma empresa. E quando se trata de atividades que não podem apresentar o mínimo de erro, ela se torna um grande aliado para garantir estabilidade e a tranquilidade. Mas, lembre-se, para que o UX entregue uma experiência realmente diferenciada, é importante também que você conheça suas próprias necessidades e expectativas.

Gostou do conteúdo de hoje sobre UX no fiscal? Conte para a gente nos comentários abaixo! E não deixe de baixar gratuitamente o nosso e-book completo com tudo que você saber sobre os elementos que realmente transformam digitalmente a sua empresa e quais os benefícios dessa jornada!

Please follow and like us:
error

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu