O eSocial, plataforma que promete integrar informações fiscais, trabalhistas e previdenciárias de mais de 18 milhões de empregadores de 44 milhões de trabalhadores brasileiros, entrou em vigor neste mês de janeiro de 2018. E para que as empresas pudessem se familiarizar aos poucos com o processo, o Governo definiu um faseamento do eSocial.

Ou seja, a cada momento pré-determinado, um grupo de empresas deverá acessar a plataforma para incluir suas informações e deixar governo federal, Ministério do Trabalho, Caixa Econômica, Secretaria de Previdência, INSS e Receita Federal a par de suas rotinas.

ebook eSocialA inclusão das informações na plataforma será dividida em três etapas, cada uma composta por cinco fases. Entenda melhor:

Etapa 1 – Empresas com faturamento anual superior a R$ 78 milhões

Fase 1: Janeiro/18: apenas informações relativas às empresas, ou seja, cadastros do empregador e tabelas

Fase 2: Março/18: Nesta fase, empresas passam a ser obrigadas a enviar informações relativas aos trabalhadores e seus vínculos com as empresas (eventos não periódicos), como admissões, afastamentos e desligamentos

Fase 3: Maio/18: Torna-se obrigatório o envio das folhas de pagamento

Fase 4: Julho/18: Substituição da GFIP (Guia de Informações à Previdência Social) e compensação cruzada

Fase 5: Janeiro/19: Na última fase, deverão ser enviados os dados de segurança e saúde do trabalhador

 

Etapa 2: Médias Empresas, ou seja, aquelas com faturamento entre R$ 4,8 milhões e R$ 78 milhões em 2016

Fase 1: Julho/18: Cadastro do Empregador e Eventos de Tabela (S-1000 a S-1080)

Fase 2: Outubro/18: Cadastro de Trabalhadores e Eventos Não Periódicos (S-2190 a S-2399)

Fase 3: Janeiro/19: Eventos Periódicos (S-1200 à S-1300)

Fase 4: Janeiro/20: Eventos de Saúde e Segurança do Trabalho

 

Etapa 3: Pequenas empresas, aquelas com faturamento abaixo de R$ 4,8 milhões em 2016, incluindo microempresas e MEI.

Fase 1: Janeiro/19: Cadastro do Empregador e Eventos de Tabela (S-1000 a S-1080)

Fase 2: Abril/19: Cadastro de Trabalhadores e Eventos Não Periódicos (S-2190 a S-2399)

Fase 3: Julho/19: Eventos Periódicos (S-1200 à S-1300)

Fase 4: Julho/20: Eventos de Saúde e Segurança do Trabalho

 

 

Etapa 4 – Administração Pública e Organizações Internacionais.

Fase 1: Janeiro/20: Cadastro do Empregador e Eventos de Tabela (S-1000 a S-1080)

Fase 2: Indefinido: Cadastro de Trabalhadores e Eventos Não Periódicos (S-2190 a S-2399)

Fase 3: Indefinido: Eventos Periódicos (S-1200 à S-1300)

Fase 4: Janeiro/21: Eventos de Saúde e Segurança do Trabalho

 

Impactos do faseamento do eSocial nas empresas

Todo empresário sabe muito bem o quanto é desafiador estar a par dos resultados alcançados por todos os departamentos da empresa. Felizmente, a automatização chegou para reunir diversas informações em um mesmo lugar, agilizando a visualização dos KPIs e aumentando o tempo hábil para a definição de estratégias e suas devidas implementações.

E, se reunir todas as informações em um mesmo local é sinônimo de facilidade, o governo decidiu apostar nessa metodologia, juntando os dados de todas as empresas públicas e privadas brasileiras. Com isso, pretende identificar problemas e sugerir projetos de melhoria com mais rapidez.

O eSocial unificará e organizará o cumprimento das obrigações fiscais, trabalhistas e previdenciárias das empresas brasileiras. A plataforma é mais uma forma de automatização de dados e sua chegada pode ajudar os empregadores a colocarem a casa em ordem e repensar ações de melhoria.

Ou seja, o empregador será forçado a parar e analisar com mais cuidado se a empresa contratada para cuidar do planejamento fiscal do seu negócio é realmente eficiente. Afinal de contas, o departamento financeiro é o coração de uma organização e precisa estar em pleno funcionamento para garantir a sobrevivência de todos os departamentos.

A Compliance Fiscal entende bem esse cenário complexo e sabe que acompanhar as constantes alterações e atualizações na legislação fiscal é um desafio para os empregadores brasileiros, que ainda precisam estar atentos às mais diferentes datas de entrega das declarações para manter seus negócios regularizados.

Com o intuito de se tornar uma importante parceira das empresas brasileiras, a Compliance conta com um time experiente de contadores e tecnólogos que estudam e desenvolvem as melhores soluções para automatização de gestão fiscal e tributária.

Esse processo permite que os dados de todos os departamentos sejam integrados entre si e com outros ERPs, facilitando o acesso à informação e entrega das obrigações. Além de disso, uma automatização é capaz de reduzir custos e ampliar a segurança das informações essenciais para o cumprimento da legislação vigente.

Quer saber como a Compliance pode contribuir para a automatização fiscal e tributária da sua empresa? Deixe sua mensagem nos comentários ou clique aqui e entre em contato conosco.

Você também pode baixar o nosso e-book para saber tudo sobre eSocial e deixar sua empresa regularizada. Basta clicar aqui!

Please follow and like us:
error

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu